Pages

Subscribe:

Ads 468x60px

31 de outubro de 2008

Quem te linkou?

Quinta-feira, 6 de Março de 2008

Olá!

Achei essa dica super legal, e realmente funciona.
Quem estiver interessado... é só clicar e entrar no site!
Espero que gostem.
Bjim.

Quem me linkou?

Quer saber quem linkou seu site? Isso é facil de saber: Vá no site Technorati, coloque o endereço de seu site e clique em search, que aparecerá a lista dos sites que têm link para o seu.

Outra maneira de saber quem te linkou é ir ao site Walk2Web e digitar sua URL. O relatório desse é mais completo e aparecem também outras informações como, por exemplo, o sites que você linkou também. Vale a visita!

28 de outubro de 2008

Texto como Pretexto


Escola .....

Texto Como Pretexto

Encaminhamos aos senhores pais, O “Texto Como Pretexto”. Este pretende servir de pretexto para uma reunião familiar, reflexão e debate. O tema é ligado ao processo de educação das crianças e jovens.

O texto é apenas pretexto.

Antes que Elas Cresçam

Afonso Romano de Santana

Há um período em que os pais vão ficando órfãos dos seus próprios filhos.

É que as crianças crescem independente de nós, como árvores tagarelas e pássaros estabanados.

Crescem sem pedir licença à vida.

Crescem com uma estridência alegre e, às vezes, com alardeados de arrogância.

Mas não crescem todos os dias, de igual maneira, crescem de repente.

Um dia sentam – se perto de você no terraço e dizem uma frase com tal maturidade que você se sente que não pode mais trocar as fraldas daquela criatura.

Onde é que andou crescendo aquela danadinha que você não percebeu?

A criança esta crescendo num ritual de obediência orgânica e desobediência civil.

E você está agora ali, na porta da discoteca, esperando que ela apenas cresça, mas apareça!

Ali estão muitos pais ao volante, esperando que eles saiam esfuziantes sobre patins e cabelos longos, soltos.

Entre hambúrgueres e refrigerantes nas esquinas, lá estão nossos filhos com o uniforme de sua geração: incômodas mochilas da moda nos ombros.

Esses são os filhos que conseguimos gerar e amar, apenas dos golpes dos ventos, das colheitas, das noticias e da ditadura das horas.

E eles crescem meio amestrados, observando e aprendendo com nossos acertos e erros.

Principalmente com os erros que esperamos que não repitam.

Há um período em que os pais vão ficando um pouco órfãos dos nossos próprios filhos.

Não mais os pegaremos nas portas das discotecas e das festas.

Passou o tempo do balett, do inglês, da natação e do judô.

Saíram do banco de trás e passaram para o volante. O volante de suas próprias vidas.

Deveríamos ter ido mais à cama deles ao anoitecer para ouvirmos sua alma respirando conversas e confidencias entre os lençóis da infância, e os adolescentes cobertores daquele quarto cheio de adesivos, pôster, agenda coloridas e discos ensurdecedores.

Eles cresceram sem que esgotássemos neles todo o nosso afeto.

Por isso é necessário fazer alguma coisa a mais, antes que eles cresçam.

PAI....

Por mais que nossa educação seja integral, tem coisa que só você sabe ensinar.

Pense nisso.

Professora: Tatiana Martins – 3º Ano / I Semestre 2008

Boas Férias.


Projeto Mauricio de Souza (Turma da Mônica)

Escola ....

Aparecida de Goiânia, maio de 2008

Professora: Tatiana P. Martins

Alunos atendidos: 3º Ano

Tema: Mauricio de Souza

I- Apresentação

As histórias em quadrinho da Turma da Mônica são bastante conhecidas pela garotada e podem ser usadas em sala de aula para trabalhar diferentes temas. Como os personagens também são crianças, é comum que os alunos se identifiquem com algum deles. Neste trabalho iremos usar a Mônica, o Cebolinha, a Magali, o Cascão e o Chico Bento para trabalhar temas transversais com as crianças de oito anos.

II- Justificativa

O presente trabalho tem por objetivo auxiliar o trabalho de professores em sala de aula de maneira lúdica e prazerosa, no sentido de desperta – los para novas técnicas em relação ao processo de desenvolvimento cognitivo do educando, levando – os a uma prática produtiva para a vida cotidiana, provocando produção de conhecimento e conceitos consolidados como conhecimento novo.

Neste sentido buscando subsídios na teoria de alguns autores na abordagem sócio - interacionista, onde, a aprendizagem acontece por meios de internalização a partir do processo anterior, de troca, que possui uma dimensão coletiva. Pois os seres humanos convivem em sociedade, na dimensão moral da ação que implica em um posicionamento em relação aos valores, que servem portanto para verificar a coerência entre pratica e princípios, questionar, reformular e fundamentar onde o individuo seja integrante das transformações sociais e culturais.

Utilizando recursos acessíveis estaremos contribuindo para a melhoria das condições de ensino em nossas escolas, sobretudo, nos aspectos relacionados aos métodos tradicionais e com isso estaremos mais próximos de alcançar nosso principal objetivo, que é de mediar o conhecimento real e potencial, através da literatura infantil criando situações que suscitem a discussão acerca de valores, morais, sentimentos e atitudes.

III- Público Alvo (Perfil da Turma)

Alunos do 3º Ano – (Ciclo de 9 anos)

IV- Número de Aulas

05 aulas

V- Conteúdo Cientifico Abordado

- Língua Portuguesa

  • Leitura e interpretação das histórias em quadrinho de Mauricio de Souza
  • Reconhecer no texto relações entre personagens e ações (M.H)
  • Respeitar e acolher opiniões alheias (M. H)

- História

  • Reconhecer e identificar algumas diferenças existentes entre pessoas pertencentes ao mesmo grupo social (M.H).

- Geográfica

  • Diferenças entre Zona Urbana e Zona Rural
  • Reconhecer diferentes formas de exploração da natureza (M.H)
  • Reconhecer o bairro como espaço geográfico interligado a outros lugares (M.H)

- Ciências

  • Reconhecer que a higiene corporal é um fator para o bem estar e para a convivência social (M.H)

VI- Interesse e Motivação

Trabalhar de forma lúdica e prazerosa a educação moral e ética, auxiliando a criança no processo de ensino aprendizagem.

VII- Recursos de Ensino

  • Começar o projeto com um estudo sobre a vida e obra do autor Mauricio de Souza.
  • Cartaz da Turma da Mônica.
  • Fazer uma sessão de cinema e passar o DVD da Turma da Mônica (Paramount Pictures.)
  • Disponibilizar gibis para as crianças folhearem e lerem.
  • Todos os dias ler uma história da Turma da Mônica para a turma e discutir com eles quais temas que ela aborda
  • Levar a turma para brincar de pular corda, amarelinha, etc.
  • Confeccionar um bichinho de estimação para as crianças na 2ª aula.
  • Confeccionar boneco de cebola 3º aula
  • Confeccionar o sabonete decorado na 4ª aula
  • Confeccionar o chapéu do Chico Bento na 5ª aula

VIII- Descrição aula a aula

1ª Aula - Os Personagens

  • Após conhecer um pouco da biografia de Mauricio de Souza, é hora de conversar com os alunos sobre os personagens criados por ele.
  • Perguntar se conhecem os personagens da Turma da Mônica. Quais são eles?
  • Fazer perguntas levando em consideração as características de cada personagem: está certo a Mônica bater nos meninos? Porque o Cebolinha fala errado? É saudável não tomar banho, como faz o Cascão?

2º Aula- Mônica – As características da personagem serão exploradas para incentivar as crianças a falarem sobre si.

  • Questionar como é a vida da Mônica, “Com quem ela mora?”, “Como é sua família?”, “Qual é o seu brinquedo favorito?”.
  • Fazer as mesmas perguntas para as crianças.
  • Quais as brincadeiras de que Mônica mais gosta?
  • Conversar com a turma sobre a importância da família e sobre o carinho que a Mônica tem pelo Sansão, seu coelhinho de pelúcia.
  • Discutir o fato de a Mônica bater nos amigos com o Sansão.
  • Pedir para as crianças desenharem a personagem ou modelar com massinha

3º Aula -Cebolinha – Respeitando as diferenças

  • Conversar com as crianças sobre a forma como o Cebolinha fala. É errado? Será que ele fala assim de propósito? Aproveitar para trabalhar a questão da inclusão e explicar aos alunos que é necessário ajudar os colegas com mais dificuldades.
  • Discutir com a turma sobre o comportamento do Cebolinha em relação à Mônica. Está correto ele criar os “planos infalíveis”? Ele pode chamar a coleguinhas usando apelidos que ela não gosta? Por quê?

4ª aula -Cascão – Ele tem medo de água e adora sujeira – trabalhar a importância da higiene

  • Perguntar aos alunos quais são os medos deles.
  • Conversar sobre as noções de higiene e falar dos animais que vivem no lixo, as doenças que podem transmitir , que precisamos tomar banho todos os dias e lavar as mãos antes das refeições, depois de usar o banheiro ou brincar

5º aula - Chico Bento – Este personagem mora no campo, por isso valoriza muito a natureza.

  • Conversar com a turma sobre as diferenças entre a Zona rural e urbana.
  • Meios de transporte utilizado
  • A importância de se cuidar do meio ambiente.

Enceramento – Culminância

Para encerrar o projeto, organizar uma festa com os alunos, onde os mesmo deverão vir fantasiados do personagem da Turma da Mônica com o qual mais se identificaram, ou o que mais goste.

26 de outubro de 2008

DEFICIÊNCIAS - Mario Quintana

DEFICIÊNCIAS - Mario Quintana

(escritor gaúcho 30/07/1906 -05/05/1994).

'Deficiente' é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
'Louco' é quem não procura ser feliz com o que possui.
'Cego' é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
'Surdo' é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.
'Mudo' é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
'Paralítico' é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
'Diabético' é quem não consegue ser doce.
'Anão' é quem não sabe deixar o amor crescer. E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
'Miseráveis' são todos que não conseguem falar com Deus.

'A amizade é um amor que nunca morre. '

Copilação extraida do site:http://taniajuliani.blog.terra.com.br/?page=2

Desenvolvimento Infantil



Criança
Uma criança é um ser humano que começa a desenvolver-se. São chamadas de nenê ou recém-nascido do nascimento até 1 mês; bebê, quando tem idade entre 1 mês e 18 meses, e criança quando tem entre 18 meses até 12 a 14 anos, aproximadamente. O ramo da medicina que cuida do desenvolvimento e das doenças e traumas em crianças é a pediatria. A infância é o período que vai desde o nascimento até aproximadamente o décimo segundo ano de vida de uma pessoa. É um período de grande desenvolvimento físico, marcada por gradual crescimento da altura e do peso da criança - especialmente nos primeiros 3 anos de vida e nos anos que antecedem a adolescência. Mais do que isto, é um período onde o ser humano desenvolve-se psicologicamente, envolvendo graduais mudanças no comportamento da pessoa, e da adquisição das bases de sua personalidade.

Estágios da infância
A infância é um período na qual a criança cresce fisicamente e matura-se psicologicamente. Após isto, vêm a adolescência. Embora em várias crianças ocorre o que se chama de puberdade precoce, deve-se esclarecer que tais crianças ainda não têm maturidade o suficiente para serem consideradas como adolescentes, mesmo tendo um porte físico de um(a). Desde o nascimento até o início da adolescência, os pais são os principais modelos da criança, com que elas aprendem,principalmente por imitação. Filhos de pais que os abusam ou negligiciam tendem a sofrer de vários problemas psicológicos, inclusive, depressão.

0 - 18 meses
= bebê engatinhando.
Neste estágio, o bebê é totalmente dependente de terceiros (geralmente, os pais) para quaisquer coisas como locomoção, alimentação ou higiene. Neste período, o bebê aprende atos básicos de locomoção como sentar, engatinhar, andar. Até mais ou menos o sexto mês de vida, o principal alimento do bebê é o leite, de preferência, leite materno.. Após o sexto mês de vida, a dieta alimentar de um bebê começa a variar, com a introdução lenta e gradual de novos alimentos.
Neste estágio da vida, a criança cresce muito rapidamente. Os primeiros cabelos, bem como os primeiros dentes, aparecem neste estágio. Aos 18 meses de vida, a maioria dos bebês já soltaram suas primeiras palavras. Este período é caracterizado pelo egocentrismo pois o bebê não compreende que faz parte de uma sociedade, e o mundo para ele gira em torno de si mesmo.

18 meses - 3 anos
A pequena criança neste estágio cresce menos do que durante os primeiros 18 meses de vida. A criança, então, pode correr uma curta distância por si mesma, comer sem a ajuda de terceiros, e falar algumas palavras que têm significado (por exemplo, mamãe, papai, bola, etc), e a expectativa é a criança continue a melhorar estas habilidades.
O principal aspecto desta faixa etária é o desenvolvimento gradual da fala e da linguagem. Aos 3 anos de idade, a criança já pode formar algumas frases completas (e correta gramaticalmente) usando palavras já aprendidas, e possui um vocabulário de aproximadamente 800 a 1 000 palavras.
A criança lentamente passa a compreender melhor o mundo à sua volta, e a aprender que neste mundo há regras que precisam ser obedecidas, embora ainda seja bastante egocêntrica consigo mesma - comumente vendo outras pessoas mais como objetos do que pessoas, não sabendo que estas possuem sentimentos próprios. Assim sendo, a criança muitas vezes prefere brincar sozinha do que com outras crianças da mesma faixa etária. No final desta faixa etária, uma criança geralmente já sabe diferenciar pessoas do sexo masculino e pessoas do sexo feminino, e também já começa a ter suas próprias preferências, como roupa e entretenimento, por exemplo. Pode também ser capaz de vestir-se a si própria, bem como pode antecipar acontecimentos.

3 - 5 anos
Crianças na educação infantil .

Crianças desta faixa etária começam a desenvolver os aspectos básicos de responsabilidade e de independência, preparando a criança para o próximo estágio da infância, os anos iniciais de escola. As crianças desta faixa etária são altamente ativos, em geral, constantemente explorando o mundo à sua volta. As crianças passam também a aprender que na sociedade, existem coisas que eles podem ou não fazer.
Nesta faixa etária, a criança já compreende melhor o mundo à sua volta - tornando-se gradualmente menos egocêntrica - e melhor compreendendo que suas ações podem afetar as pessoas à sua volta. Também passam a compreender que outras pessoas também possuem seus próprios sentimentos. Assim sendo, as crianças gradualmente aprendem sobre a existência de padrões de comportamentos - ações que podem ou devem ser feitas, e ações que não devem ser feitas. Os pais da criança - os principais modelos da criança, nesta faixa etária - geralmente determinam se uma dada ação da criança foi boa ou má, e muitas vezes recompensando a criança pelas suas boas ações e castigando a criança pelas suas más ações.
Crianças, a partir dos 3 anos de idade, também passam a aprender padrões de comportamento de um processo chamado identificação. As crianças passam a identificar-se com outra pessoa por causa de vários motivos, incluindo laços de amizade (um amigo ou uma pessoa próxima como outro parente ou uma babá, por exemplo) e semelhanças físicas e psicológicas. Também a partir dos 3 anos de idade que as crianças passam a ver diferenças entre pessoas do sexo masculino e feminino, tanto nos aspectos físicos e psicológicos, como também os esteriótipos dados a ambos os sexos pela sociedade (exemplos: menino brinca com bola, menina brinca com boneca).
A grande maioria das crianças abandona as fraldas nesta faixa etária. A partir dos 3 anos de idade, a criança cresce lentamente, em contraste com o crescimento acelerado ocorrido entre 0 até os 18 meses de vida. Meninos e meninas têm peso e altura semelhantes.




O tipo de auto-imagem formada durante a infância pode influenciar o comportamento desta pessoa na adolescência e na vida adulta. As crianças passam a desenvolver a auto-imagem após os 3 anos de idade, à medida de que as crianças identificam-se com seus pais, parentes, e posteriomente, pessoas próximas. Esta auto-imagem pode ser positiva ou negativa, dependendo das atitudes e das emoções das pessoas com a qual a criança identifica-se. Crianças com auto-imagens positivas geralmente possuem boas impressões de seus pais e uma ativa vida social; já auto-imagens negativas podem ser fruto de abuso infantil cometidos por parentes ou outros adultos, bem como problemas socio-psicológicos (vítima de agressão na escola, por exemplo) e o testemunho de outros traumas (perda de um parente ou amigo, por exemplo. A comparação que uma criança faz em relação à outras crianças pode alterar esta auto-imagem.Os dentes de leite começam a cair no sexto ano de vida, um por um, até a adolescência. O crescimento de peso e altura é pequeno e semelhante entre meninos e meninas, que continuam a ter peso e altura semelhantes. Quanto à força física, em teoria, meninos e meninas desta faixa etária têm força física semelhante, mas, meninos, por geralmente serem mais incentivados pelos pais a participar de atividades físico-esportistas, tendem a ter um pouco mais de força física do que as meninas.



Profª Tânia Juliani

Copilação extraida do site:http://taniajuliani.blog.terra.com.br/


Gestão Democrática


Gestão democrática

Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo. Os homens se educam entre si, mediados pelo mundo”. Paulo Freire

Os artigos 14 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e 22 do Plano Nacional de Educação (PNE) indicam que os sistemas de ensino definirão as normas da gestão democrática do ensino público na educação básica obedecendo aos princípios da participação dos profissionais da educação na elaboração do projeto pedagógico da escola e a participação das comunidades escolares e locais em conselhos escolares. Devemos enfatizar então que a democracia na escola por si só não tem significado. Ela só faz sentido se estiver vinculada a uma percepção de democratização da sociedade.

Na Gestão democrática deve haver compreensão da administração escolar como atividade meio e reunião de esforços coletivos para o implemento dos fins da educação, assim como a compreensão e aceitação do princípio de que a educação é um processo de emancipação humana; que o Plano Político pedagógico (PPP) deve ser elaborado através de construção coletiva e que além da formação deve haver o fortalecimento do Conselho Escolar.
A gestão democrática da educação está vinculada aos mecanismos legais e institucionais e à coordenação de atitudes que propõem a participação social: no planejamento e elaboração de políticas educacionais; na tomada de decisões; na escolha do uso de recursos e prioridades de aquisição; na execução das resoluções colegiadas; nos períodos de avaliação da escola e da política educacional. Com a aplicação da política da universalização do ensino deve-se estabelecer como prioridade educacional a democratização do ingresso e a permanência do aluno na escola, assim como a garantia da qualidade social da educação.

As atitudes, os conhecimentos, o desenvolvimento de habilidades e competências na formação do gestor da educação são tão importantes quanto a prática de ensino em sala de aula. No entanto, de nada valem estes atributos se o gestor não se preocupar com o processo de ensino/aprendizagem na sua escola. Os gestores devem também possuir habilidades para diagnosticar e propor soluções assertivas às causas geradoras de conflitos nas equipes de trabalho, ter habilidades e competências para a escolha de ferramentas e técnicas que possibilitem a melhor administração do tempo, promovendo ganhos de qualidade e melhorando a produtividade profissional. O Gestor deve estar ciente que a qualidade da escola é global, devido à interação dos indivíduos e grupos que influenciam o seu funcionamento. O gestor, que pratica a gestão com liderança deve buscar combinar os vários estilos como, por exemplo: estilo participativo que é uma liderança relacional que se caracteriza por uma dinâmica de relações recíprocas; estilo perceptivo/flexível que é uma liderança situacional que se caracteriza por responder a situações específicas;estilo participativo/negociador que é uma liderança consensual que se caracteriza por estar voltada a objetivos comuns, negociados; e estilo inovador: que é uma liderança prospectiva que se caracteriza por estar direcionada à oportunidade, isto é, à visão de futuro. O gestor deve saber integrar objetivo, ação e resultado, assim agrega à sua gestão colaboradores empreendedores, que procuram o bem comum de uma coletividade.

Boa Pesquisa !!!!

Copilação extraida do site: http://taniajuliani.blog.terra.com.br/

Link - Me


Educanco Com Carinho

25 de outubro de 2008

Planilha de notas - médias - resultado final

Este é um programa de notas que eu utilizo.
Você vai colocando as notas e ele automaticamente vai calculando as médias.
Deixo aqui os meus agradecimentos a minha amiga Maria Ferreira, afinal, foi ela quem elaborou este programa pra mim!
Amiga, valeu mesmo.
Agora posso compartilhar este programa com todos vocês!

Photo Sharing and File Hosting at Badongo.com

============================================================
Amigas blogueiras, tenho recebido e-mail de pessoas que não estão conseguindo baixar a PLANILHA DE NOTAS. Sendo assim resolvi coloca-lo no meu disco Virtual.
Entre lá e baixe.
Uma abraço.
Obrigado.

24 de outubro de 2008

Projeto Natal

Estamos nos aproximando de uma das datas mais esperados do ano.O Natal.

Este é um pequeno projeto que pode ser utilizados com nossas turminhas.
Aproveitem bastante.

Projeto Natal

Justificativa

É chegado mais um Natal, todos comemoram o nascimento de Jesus. Este projeto surgiu para mostrar o verdadeiro sentido do Natal. A Igreja Cristão adotou a festa a partir do séc. IV, usando a justificativa de que Cristo é, segundo a Bíblia, o "Sol da Justiça". O fato central da comemoração do Natal é que Deus deu a todos nós o seu filho, para que fossemos salvos por Ele. Portanto o verdadeiro Natal é dar, amar, viver para Deus. Natal é Jesus nascendo cada dia nos corações de todos nós.


Objetivos

- Compreender a importância do Nascimento de Jesus para a humanidade.

- Incentivar o aluno a vivenciar o amor e o respeito pelas pessoas, valorizando a convivência familiar e com o próximo.

- Despertar nos alunos o verdadeiro sentido do Natal através da participação de atividades alegres e espontâneas, enfatizando um ambiente festivo, perceptivo a solidariedade e amor ao próximo.


Atividades

- Pesquisar sobre os símbolos de Natal( Estudo Histórico)

- Confeccionar cartões de natal ( mensagens)

- Preparação de natal para necessitados ( Natal Solidário)

- Montar cestas de natal para um asilo ou orfanato

- Teatro de Natal, confeccionar cartaz, lembrancinhas,

- Montar presépio e painel.


Metodologia

- Discussão em sala de aula sobre o assunto - Aulas no laboratório de Informática


Recursos Materiais

- Cartazes

- Cartões para confecção de um painel de natal

- Mensagens natalinas para os professores

- Material para montagem

- Material para cenário do teatro


Avaliação

- Acontecerá após a culminância do projeto.