Pages

Subscribe:

Ads 468x60px

13 de agosto de 2011

Animais: Proteção aos filhotes



Proteção aos filhotes


O cuidado parental é essencial para o desenvolvimento e autonomia de todas as espécies. Veja como explorar a temática com os pequenos em sala de aula

Objetivos:
Observar semelhanças e diferenças

Organizar o pensamento para contar e argumentar com o colega
Desenvolver autonomia

Faixa etária: 4 a 6 anos

Fotos e ilustrações: Shutterstock

Assim como a galinha mantém os pintinhos embaixo de suas asas e o canguru guarda os filhotes em sua bolsa, a mamãe protege seu filho. Não importa a espécie nem o porte, no reino animal, os bebês são frágeis e indefesos e necessitam de cuidados, muitas vezes constantes, até atingirem certa fase do desenvolvimento. "Na Educação Infantil, os pequenos estão ávidos por descobertas e curiosos para entender tudo o que há ao redor.

Por isso, os professores devem explorar a fase para abordar a importância do cuidado parental para a independência dos filhos, e como esse cuidado varia entre as espécies", afirma Fátima Barbosa Bahamonde, psicóloga e professora do Infantil no Colégio Emilie de Villeneuve, em São Paulo (SP).

No Colégio Sion, também na capital paulista, as professoras aproveitaram o Dia das Mães para investigar com a turma como a bicharada cuida de seus filhotes. "Cada sala elegeu dois animais, sendo um mamífero e o outro ovíparo, e iniciamos com uma roda na qual abordamos que alguns animais nascem do ovo e outros da barriga das mães. Perguntamos por que precisamos de nossas mães e, de acordo com as hipóteses lançadas pelos alunos, fomos transferindo para os animais, explica Juliana de Almeida Simões, professora do maternal II e III.

Cachorro e galinha
Os animais escolhidos pelo Maternal I foram cachorro e galinha e, por isso, as professoras decoraram a sala com cerquinha, serragem e outros materiais para ambientálos na fazenda. Depois, ao ouvir o som gravado dos animais, as crianças tiveram que reconhecêlos e imitá-los. Como atividades, a turma montou um quebra-cabeça de cachorro e trabalhou uma pintura com mistura de cores e colagem a partir da obra de arte A Galinha Cor-de-Rosa, de Keith Kowal.

Fotos e ilustrações: Shutterstock

Jacaré e girafa
Com o Maternal II, as professoras trabalharam a cantiga: "Jacaré foi à feira e não sabia o que comprar, comprou uma cadeira para o João se sentar. O João se sentou, a cadeira esborrachou. Coitadinho do João foi parar no corredor!". Conforme os nomes das crianças eram ditos, elas entravam na roda. Em seguida, os alunos picaram papel azul para representar o rio e brincaram com um quebra-cabeças de duas peças que quando coladas lado a lado formavam um jacaré. Para representar a girafa, pintaram uma folha inteira de laranja e colaram as manchas de papel camurça. "Não houve nenhum contorno prévio. Costumamos deixar as crianças explorarem livremente o papel e, nesse caso, com o objetivo de explorar as cores do animal", conta Juliana.

Fotos e ilustrações: Shutterstock

Tartaruga e baleia
Já as crianças do Maternal III fizeram uma pintura surpresa, em que uma baleia foi desenhada com giz de cera branco, mas elas não conseguiam ver o desenho. "Explicamos que era um desenho surpresa, e que ali apareceria um animal que mora no fundo do mar. Quando eles passaram anilina azul misturada com água, a folha ficou toda azul e a baleia em destaque", explica Juliana.

Visitando outra turma
Os alunos visitaram as outras turmas e participaram de atividades na sala do animal vizinho. A caça aos ovos da tartaruga, por exemplo, serviu para eles entenderem que, ao contrário da maioria das espécies, as mamães botam os ovos na areia e os deixam à deriva até que os bebês nasçam e vão ao encontro delas.

"Em meio às atividades, estimulávamos conversas sobre o animal referido, e foi interessante perceber que a partir das descobertas, os alunos seguiam relacionando o trato de cada espécie com seu filhote à experiência que eles tinham com a mamãe, em casa", lembra a professora.

As plantas não têm mãe
Essa foi a descoberta dos alunos do Infantil do Colégio Emilie depois de um passeio pelo jardim para observar como vivem os seres vivos. "Apresentei aos alunos uma planta insetívora e levantei o que eles já sabiam sobre o cuidado com plantas. Fomos, então, passear pelo jardim, encontrar outros animais e vegetais e estimulei discussões com perguntas do tipo 'as plantas têm mãe?'. Eles descobriram que, no caso dos vegetais, não são cuidados de mãe que eles precisam, mas sim de um ser vivo preservando outro", conta Fátima.

Ainda no jardim, as crianças se interessaram pela lagartixa e pelo caracol e, novamente, a relação pais e filhos foi inserida tanto na conversa entre as crianças como nas hipóteses lançadas pela professora. "A mamãe lagartixa deposita os ovos em um local seguro, mas não fica cuidando. Rapidamente, eles já trouxeram para a sua realidade ao dizer que com a mamãe é diferente porque ela os levou na barriga, sempre os protege levando-os ao médico. Em sala, eles trouxeram o próprio ultrassom e seguiram comparando as relações baseado no que viram", explica Fátima. No caso do caracol, alguns chegaram a pensar que a concha era a mãe dele, pelo fato de protegê-lo. "Cognitivamente, o Infantil não tem repertório para formar conceitos, então, até o final dessa etapa só faz sentido desenvolver atividades que comparem os seres vivos com a realidade deles", acrescenta. Para finalizar, os pequenos conversaram com o jardineiro para saber como ele cuidava das plantas e para levantar perguntas que foram feitas para o professor de biologia, quando, por último, visitaram o laboratório para saber como a insetívora vivia. "O resultado foi interessante, pois eles passaram a cuidar da planta e deixar bilhetinhos para a turma da tarde prosseguir com o trabalho. O importante era proteger, cuidar. Conceitos que ficaram bem firmes com a atividade", conclui Fátima.

Dica de leitura!
O Peixe e a Onda
Esse livro conta a história de um pequeno peixe prateado entre o vaivém das ondas...Ele acaba sendo resgatado por uma menina que, com amor e dedicação, não mede esforços para salvá-lo. Narrado pela serenidade das palavras de Branca Maria de Paula e belamente ilustrado pela sensibilidade de Simone Matias, O Peixe a Onda mostra que os sentimentos não dependem de tamanho nem se justificam pela razão. Autora: Branca Maria de Paula Ilustrações: Simone Matias Preço: R$ 23,90 Onde encontrar: www.larousse.com.br

Fonte:http://revistaguiainfantil.uol.com.br





0 comentários: