Pages

Subscribe:

Ads 468x60px

28 de agosto de 2011

TEATRO A ABELHINHA E O GRILO VERDE

A ABELHINHA E O GRILO VERDE


http://1.bp.blogspot.com/_GvZX5uLodPg/S5goahQMB9I/AAAAAAAABE0/w38nOngeJG8/s400/grilo+verde.jpg


Narrador: - Um grilo curioso, todo vestido de verde, pousou em cima de uma caixa de abelhas africanas. Uma abelhinha sentinela que estava de vigia, aproximou-se cautelosa e perguntou ao visitante:
ABELHA 1 :- Olá Seu Verdão, o que é que você vem fazer aqui neste lugar tão perigoso?
GRILO:- Mais respeito, senhorita! Veja como fala! Meu nome é Grilo Verde, campeão de salto em altura.
ABELHA 1:- Desculpe Senhor Campeão Verde. Eu sou membro da polícia Feminina e da guarda dessa família.
GRILO:- Família?
ABELHA 2:- Exatamente! Família numerosa, organizada, perfeita e trabalhadeira.
GRILO: -Isto parece grande mesmo. Com tanta abelha entrando e saindo por um buraco...
ABELHA 3:- Buraco não! È a porta do palácio!
GRILO :- Palácio? Com tantas abelhas, armadas e zunindo deste jeito, isto aí parece mais um quartel.
ABELHA 4 :- Isto mesmo! È uma família, um quartel e um palácio, pois aqui moram uma rainha e mais 60 mil abelhas.
GRILO:-Estou cada vez mais curioso. Pelo jeito aqui quem manda são as mulheres. Vocês tem maridos?
ABELHA 1:-Não! Aqui quem tem marido é só a rainha.
GRILO:- E as outras 60 mil, são todas viúvas?
ABELHA 2:- Nada de viúvas! São todas solteiras, virgens e operárias empenhadas, cada classe, no seu trabalho especial.
GRILO:- Logo vi! Sessenta mil freiras rezando juntas, num convento, só tem que fazer um zum-zum maluco!
ABELHA 3:- Nós não somos freiras e isto aqui não é um convento. É uma casa de família e de trabalho.
GRILO:- Sim, e o que é que vocês produzem?
ABELHA 4:- Produzimos mel, cera, própolis e apixotina e, ainda, recolhemos pólen das flores.
GRILO:- E essa multidão que está aí voando loucamente para todos os lados?
ABELHA 1:- Loucamente não, senhor Grilo! Todas elas sabem o que estão fazendo. Sabem para onde vão e sabem quando voltar.
Como assim?
GRILO:- Elas vão procurar flores bonitas, ricas e perfumadas.
É para perfumar a nossa nobre rainha?
ABELHA 2:- Não! È para lamber o néctar, que serve para mel e colher o pólen, que serve para alimento.
GRILO?- E o perfume?
ABELHA 3:- Quem distribui perfume aqui para toda a família é só a Rainha. Esse perfume se chama feromônio, que serve de senha para cada abelhinha conhecer suas irmãs, sua família e sua casa.
GRILO:- Vocês fabricam mel só para a Rainha?
ABELHA 4:- Não, Senhor Grilo. Mel é para toda família. A Rainha só come coisa especial e exclusiva, que se chama geléia real. E a mordomia é tanta que ela é servida na boca, pelas abelhinhas nutrizes, mais de cem vezes por dia.
GRILO:- Já que a geléia é só apara a rainha, posso dar uma lambidinha no mel?
ABELHA 1:- Não seja maluco, Senhor Grilo! Naquela porta não passa ninguém estranho. O ataque vai ser fulminante


GRILO:- Eu sou campeão de pulo e sei me defender muito bem. Vai seu um pé lá e outro aqui.
ABELHA 2:- Não se arrisque, meu amigo. Eu estou avisando enquanto há tempo.
NARRADOR:- Antes que abelhinha conseguisse impedi-lo, o Grilo Verde, num salto ornamental, já estava na porta, para forçar a entrada. E aí, foi a conta. Mal sacudiu as
canelas, já havia um monte de abelhas grudadas nele. Umas ferravam nas pernas, outras nas antenas e outras na barriga mole.
Não adiantou estrebuchar e pedir socorro. Tudo foi muito rápido. Em poucos minutos o Grilo verde, campeão de salto, era um cadáver esverdeado.


GRILO:- Eu sou campeão de pulo e sei me defender muito bem. Vai seu um pé lá e outro aqui.
ABELHA 2:- Não se arrisque, meu amigo. Eu estou avisando enquanto há tempo.
NARRADOR:- Antes que abelhinha conseguisse impedi-lo, o Grilo Verde, num salto ornamental, já estava na porta, para forçar a entrada. E aí, foi a conta. Mal sacudiu as
canelas, já havia um monte de abelhas grudadas nele. Umas ferravam nas pernas, outras nas antenas e outras na barriga mole.
Não adiantou estrebuchar e pedir socorro. Tudo foi muito rápido. Em poucos minutos o Grilo verde, campeão de salto, era um cadáver esverdeado.


GRILO:- Eu sou campeão de pulo e sei me defender muito bem. Vai seu um pé lá e outro aqui.
ABELHA 2:- Não se arrisque, meu amigo. Eu estou avisando enquanto há tempo.
NARRADOR:- Antes que abelhinha conseguisse impedi-lo, o Grilo Verde, num salto ornamental, já estava na porta, para forçar a entrada. E aí, foi a conta. Mal sacudiu as
canelas, já havia um monte de abelhas grudadas nele. Umas ferravam nas pernas, outras nas antenas e outras na barriga mole.
Não adiantou estrebuchar e pedir socorro. Tudo foi muito rápido. Em poucos minutos o Grilo verde, campeão de salto, era um cadáver esverdeado.

GRILO:- Eu sou campeão de pulo e sei me defender muito bem. Vai seu um pé lá e outro aqui.
ABELHA 2:- Não se arrisque, meu amigo. Eu estou avisando enquanto há tempo.
NARRADOR:- Antes que abelhinha conseguisse impedi-lo, o Grilo Verde, num salto ornamental, já estava na porta, para forçar a entrada. E aí, foi a conta. Mal sacudiu as
canelas, já havia um monte de abelhas grudadas nele. Umas ferravam nas pernas, outras nas antenas e outras na barriga mole.
Não adiantou estrebuchar e pedir socorro. Tudo foi muito rápido. Em poucos minutos o Grilo verde, campeão de salto, era um cadáver esverdeado.


GRILO:- Eu sou campeão de pulo e sei me defender muito bem. Vai seu um pé lá e outro aqui.
ABELHA 2:- Não se arrisque, meu amigo. Eu estou avisando enquanto há tempo.
NARRADOR:- Antes que abelhinha conseguisse impedi-lo, o Grilo Verde, num salto ornamental, já estava na porta, para forçar a entrada. E aí, foi a conta. Mal sacudiu as
canelas, já havia um monte de abelhas grudadas nele. Umas ferravam nas pernas, outras nas antenas e outras na barriga mole.
Não adiantou estrebuchar e pedir socorro. Tudo foi muito rápido. Em poucos minutos o Grilo verde, campeão de salto, era um cadáver esverdeado.



0 comentários: