Pages

Subscribe:

Ads 468x60px

18 de maio de 2012

Sugestão de Atividade


Bolsinha colorida


Uma bolsinha colorida poderá ter mais utilidades na classe do que você pode imaginar! Elas se apresentam em dez cores e nós podemos aproveitar esta variável.

Jogo de Observação:

Um jogo de observação pode ser feito da seguinte maneira: distribui-se uma bolsinha para cada criança. Antes se observa quais são as suas características, quantas bolsinhas existem de cada cor, quantas cores existem. Pode-se colocar, propositalmente, uma única bolsinha de determinada cor, três de uma cor forte etc.

Dá-se um minuto para que as crianças observem o conjunto. Depois disso pede-se que respondam individualmente perguntas como:

- Quantas cores de bolsinhas existiam?
- De que cor era a bolsinha de cuja cor só existia uma?
- Quantas bolsinhas pretas havia?
- Diga o nome de uma criança que estava com uma bolsinha vermelha? E outras que ocorrerem.


O professor vai fazendo a contagem e vence quem fizer mais pontos.

O jogo parece muito simples, porém, será um exemplo para os meninos que certamente se impacientarão em esperar um "enorme" minuto e depois perceberem que poderiam ter aproveitado melhor o tempo e observado um pouquinho mais... Se desejar pode-se repetir o jogo com outras perguntas, o que poderá exigir observação bem mais atenta.


Conjunto, seriação e ordenação:

Em seguida, para agitar um pouco a aula, dividem-se os meninos em dois grupos e pede-se que eles façam uma fila indiana por ordem alfabética da cor de suas bolsinhas. Isso quer dizer: amarela, azul, branca, laranja, marrom, e assim por diante. Vencerá a equipe que terminar primeiro.

Em seguida pede-se que todos juntos façam uma única fila indiana, ordenando-se ainda pela seqüência alfabética de suas bolsinhas, mas dentro de um único grupo de cor se ordene pela seqüência alfabética de seus nomes, por exemplo:

- Grupo de bolsinhas amarelas: André, Mariana, Simone e Tatiana.
- Grupo de bolsinhas azuis: Bianca, Rodrigo e Verner.

A correção será feita por eles mesmo dizendo bem alto o seu nome e mostrando a cor de sua bolsinha. Pode-se medir o desempenho, marcando-se quanto tempo gastaram para fazer a primeira vez e repetindo outras vezes, em outros dias. Este jogo é divertido e interessante para treinar a noção de conjunto, de seriação e ordenação.

Cálculos:
Uma forma de se treinar cálculos simples é atribuir-se pontos às cores de bolsinhas, por exemplo, vermelha vale um ponto, azul vale dois pontos, a preta vale dez e assim por diante. Delimita-se um círculo no chão com giz e desafiam-se os meninos a ver quais deles conseguem primeiro formar dentro do círculo um grupo cujas bolsinhas somem determinado número, quinze, por exemplo. Pode-se pedir que se forme o número vinte, mas somente de bolsinhas pares ou ímpares o que dificultará a tarefa e obrigará a identificar os números pares e ímpares.

Este jogo além dos cálculos treina a rapidez de raciocínio, o controle de suas ações, a coordenação de equipe. Permite que o professor observe quais de seus alunos têm liderança, iniciativa, senso de cooperação, dentre outros.

Perguntas gerais:

As bolsinhas também podem ser usadas para conter perguntas surpresas, e os alunos vão ganhando pontos à medida que conseguem respondê-las, por exemplo, as bolsinhas verdes contém perguntas de geografia, as amarelas de história, e assim por diante. Pode-se contar uma história na qual várias cores são mencionadas e cada vez que determinada cor é citada os alunos que possuem a bolsinha desta cor a levantam. Elas poderão conter símbolos que são a chave de um código secreto para ser usado para decifrar determinada frase ou poderão ter pedaços de um desenho que será reproduzido por um grupo em um desenho cooperativo.

Desenvolver afetividade:

Elas poderão ser usadas para muitos fins, até para um momento de reflexão na qual o professor diz: "na vida carregamos cada qual uma bolsinha imaginária onde colocamos as coisas que achamos que iremos precisar no futuro, por exemplo, na minha bolsinha guardei uma coisa que aprendi com minha mãe..." Em seguida cada criança vai dizendo o que vem guardando na sua, que poderá ser uma lembrança, algo que aprenderam ou que esperam. Esta atividade aparentemente tão simples é muito interessante para aprender um pouco sobre os seus participantes. Ela também desperta a afetividade pois depois dela as pessoas, conhecendo-se melhor, tornam-se mais amigas.

Todas as vezes que estas idéias foram aplicadas, as crianças participaram com muito entusiasmo, acertaram perguntas e fizeram cálculos sem perceberem, muitas vezes tendo melhor desempenho que em avaliações formais. Os professores também puderam observar melhor as suas crianças em um clima mais agradável e harmonioso. Será que somente este pequeno objeto, este brinquedo barato é capaz de tantas mudanças?

Certamente que não, a responsabilidade desta mudança é a disposição do professor em brincar com seus alunos, e o que é melhor, brincar enquanto ensina. O uso do lúdico na educação vem ganhando um espaço cada vez maior; nesta linha as atividades lúdicas em geral, ou seja, o jogo, a história, a dramatização e diversas manifestações da arte passam a ser um veículo no qual a mensagem educacional é atrelada.

Segundo Huizinga(1), que escreveu sobre a filosofia do jogo, uma das características da atividade lúdica é que ela abre um espaço no cotidiano, ela é um intervalo nas atividades do dia-a-dia, em que entra-se voluntariamente para desfrutar de uma nova atividade, que tem regras e fins próprios e, principalmente, dá prazer. Assim, no momento em que o professor entrega este pequeno brinquedinho a seus alunos ele está dizendo vamos abrir agora um espaço, vamos brincar!. E isto desencadeia os demais elementos que caracterizam uma atividade lúdica, na qual o principal é o prazer e a vontade de participar, certamente um fator importante para uma relação de ensino-aprendizagem.

A seguir colocamos um modelo da bolsinha encontrada no comércio e outro modelo que pode ser montado pelos próprios alunos em cartolina, colado e depois pintado em diversas cores.



0 comentários: